Como vou saber se é a hora de fazer terapia?

Ouvindo: "Sol das Lavadeiras", com Zé Manoel.

Escute em http://bit.ly/soldaslavadeiras-zemanoel


Ok, Marcone. Concordo com o que você falou no post passado: precisamos falar sobre saúde mental. Mas como vou saber se é a hora de fazer terapia?

Então... Não tem bem uma receita certa, um indicador preciso. Para algumas coisas da nossa saúde a gente tem marcadores muito claros e definidos. Febre, por exemplo: a temperatura passou um pouco mais dos 37º a gente já liga o estado de alerta, já procura um antitérmico, já pensa se foi a mudança do clima, uma friagem, uma crise de garganta que quer chegar... Com a saúde mental nem sempre é tão objetivo assim. Não temos como colocar um termômetro e saber se é a hora ou não de tratar. Mas, da mesma forma que a febre é um sintoma de alguma coisa, para sabermos se as coisas andam bem com nossa saúde mental a gente tem sintomas, indicadores.


Pensa em como anda sua vida de uns tempos pra cá. Já se passou mais de um ano desde o início da pandemia.

Você cumpriu o distanciamento social? Conseguiu trabalhar de casa ou teve impactos no seu trabalho, na sua renda? Como tem sido o dia a dia em casa, com família o tempo todo, filhos fora da escola? Tá tudo muito mudado, não é mesmo? Agora pensa em como você tem reagido a isso, em como você tem se sentido. Como tem sido isso pra você?


Se você reparar, os exemplos que eu citei são todos ligados a contextos, situações de nossas vidas. Eles não são os indicadores que vão apontar se as coisas estão bem ou não. Eles são os lugares onde os indicadores vão se manifestar. Os indicadores são ligados à última frase que usei: “Como tem sido isso pra você?”. Tem ficado triste, sem muita vontade de levantar da cama todo dia? Está mais estressado com o trabalho, com o chefe, com os colegas? A conversa com as pessoas de casa está cada vez mais difícil, parece que nunca chegam a um acordo? Parece que nunca sobra um tempinho para fazer uma coisa que você gosta, aquela coisa que é sua e que te faz tanto bem? Esses são indicadores importantes!


Talvez o termômetro de sua saúde mental esteja dando alguns sinais e seja hora de ouvir. E é exatamente aqui eu preciso falar uma coisa MUITO importante pra você: a gente não precisa esperar que os sintomas apareçam para começar a cuidar da nossa saúde mental. A gente pode se antecipar e agir de forma preventiva. A gente não precisa começar a terapia só quando vê que a coisa complicou. A gente pode ir bem antes.


Respeitar os sinais já é um ótimo passo. A hora que a gente descobre que não dá mais pra ficar enrolando e que já é bom ir logo. Tipo quando tem febre e toma um antitérmico ou corre pro médico se a febre é persistente. Se temos uma tristeza mais prolongada, uma falta de ânimo mais frequente... por que não procurar ajuda adequada?


Mas, do mesmo jeito que a gente toma uma vitamina C, tenta se alimentar bem e ter hábitos de vida saudáveis para evitar a gripe e a febre, a gente pode fazer terapia, tentar se alimentar bem e ter hábitos de vida saudáveis para evitar o adoecimento da alma. A gente pode sim começar a cuidar antes que a situação se complique. A terapia não é só curativa, ela é preventiva.


Quer uma dica sincera: faça terapia. Vai fazer um bem danado pra você.


Autor: Marcone de Souza Marques Psicólogo - CRP 01/15953

Psicólogo formado pelo UniCEUB em 2008, trabalhou com Psicologia Organizacional nos segmentos de Gestão do Conhecimento, Treinamento e Desenvolvimento e na elaboração de soluções e estratégias de capacitação para diversos públicos. ​Sua atuação na área clínica, especialmente dirigida a adolescentes e adultos, motivou a busca por uma especialização em Teoria Psicanalítica, com vistas a ampliação de seu escopo teórico e qualificação de sua prática clínica. Também se dedica ao estudo de outras abordagens, como a Psicologia Analítica de Jung e a Teoria da Subjetividade de Fernando González Rey.

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/marcone-marques-327728a6

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo