De que lado você samba? Você samba de que lado?

Ouvindo: “Samba do Lado”, Chico Science e Nação Zumbi

Escute em: https://spoti.fi/3vKqXLS



No sábado uma manifestação saiu às ruas pedindo impeachment, vacina, auxílio emergencial e otras cositas más. Mesmo os favoráveis aos temas se dividiram entre ir para as ruas e pensar no risco que isso representava num momento de pandemia. Mas, uma coisa é fato: não dá mais para ficar isento. Ou você é a favor, ou você é contra.


Entendo que foi-se o tempo em que o debate era sobre partidos, nomes, modelos econômicos, supostas ideologias. Por mais triste que seja pensar em modelos dicotômicos para discutirmos cenários tão complexos, penso que podemos resumir a questão em dois lados: ou você é a favor da vida, ou não é.


Concordo com Chico Science quando ele diz que “O problema são problemas demais se não correr atrás da maneira certa de solucionar”. O negócio é que a maneira certa está aí, na nossa cara, escancarada.

Então, eu te pergunto: “De que lado você samba? Você samba de que lado?”


Eu entendo todos os argumentos que levaram o atual governo ao poder. Eu entendo todos os argumentos que são contrários ao retorno de uma legenda com estrela ao poder. Mas, acima disso tudo, eu entendo que mais de 462 mil pessoas já morreram de COVID em nosso país. E se, pra você, 462 mil não passa de um número, de uma estatística, torça para que ele não se converta no singelo número 01 em sua vida. Mas um 01 significativo, de alguém que você ama de verdade. Aí a coisa vai sair da estatística e entrar no campo da realidade.


No sábado precisei andar até a farmácia. Vi bares abertos, lotados de pessoas celebrando a morte que só bate à porta do vizinho. Pedi perdão a Deus pelo pesar em meu coração quando pensei que o triste não seria se todos eles morressem, mas se ocupassem o leito do hospital que seria destinado a alguém que se resguardou e se contaminou no transporte público porque não teve a opção de trabalhar de casa.


Volto a insistir: a questão é simples, só tem dois lados: ou você é a favor da vida, ou não é.

Fique em casa. Use máscara. Use álcool. Pratique distanciamento social. Aceite a vacina, qualquer que seja. E se posicione em relação a tudo isso, porque seu silêncio é assassino e coloca uma boa parcela desses 462 mil mortos nas suas costas.



Autor: Marcone de Souza Marques Psicólogo - CRP 01/15953

Psicólogo formado pelo UniCEUB em 2008, trabalhou com Psicologia Organizacional nos segmentos de Gestão do Conhecimento, Treinamento e Desenvolvimento e na elaboração de soluções e estratégias de capacitação para diversos públicos. ​Sua atuação na área clínica, especialmente dirigida a adolescentes e adultos, motivou a busca por uma especialização em Teoria Psicanalítica, com vistas a ampliação de seu escopo teórico e qualificação de sua prática clínica. Também se dedica ao estudo de outras abordagens, como a Psicologia Analítica de Jung e a Teoria da Subjetividade de Fernando González Rey.


Linkedin: https://www.linkedin.com/in/marcone-marques-327728a6

Posts recentes

Ver tudo