Por que precisamos falar sobre saúde mental?

Um texto escrito ao som da música “O Redator”, do Zimbra.

Escute em http://bit.ly/oredator-zimbra

Quando recebi o convite para participar do Projeto Colaborar com alguma periodicidade, logo perguntei se gostariam de explorar algum tema ou formato específico. A resposta veio da melhor maneira possível:

“Velho, sobre o que você gosta de escrever e que você acha que pode ajudar as pessoas em sua caminhada?”.

Não tinha como não aceitar! E resolvi começar logo com um tema importante e que já abordei no projeto em um vídeo (que você confere clicando AQUI). Precisamos falar sobre saúde mental.


Pra começo de conversa, vamos combinar uma coisa: vamos deixar de lado nosso preconceito besta com o tema, com aqueles velhos pensamentos de que “psicólogo é coisa de doido”. Quando a gente fala em saúde mental, muitos já pensam naquela imagem horrível dos filmes que mostravam uma pessoa com camisa de força, dopada, num quarto com paredes acolchoadas. Pensava nos alucinados, nos loucões mesmo, aqueles que rasgavam dinheiro (olha outra frase antiga). Deixa tudo isso pra lá!


Saúde mental vai muito além disso. Mas vai além não pra lá, pra um lugar distante. Vai além pra cá, pra pertinho da gente. Vai praquela fase muito difícil no trabalho, onde você se pergunta o que está fazendo de sua vida. Vai pra um término de relacionamento pro qual você se dedicou muito. Vai praqueles períodos em que você até acha que tudo está bem na sua vida mas, de vez em quando, bate uma tristeza e um vazio no peito. Tudo isso acontece ao nosso redor, o tempo todo. E não tem nada a ver com aquela cena horrível dos filmes que comentamos ali em cima. Tem a ver com o nosso dia a dia e como lidamos com as coisas que vivemos.


Agora pega tudo isso e coloca um ingrediente extra, que ninguém esperava, chamado PANDEMIA. Não pode mais sair pra espairecer, está 24h em casa (quem pode, tem muitos que precisam sair pra trabalhar, não tem jeito), a renda da casa caiu... complicado demais!!


A demanda na clínica tem aumentado MUITO. Vocês nem imaginam. E o que era só uma impressão minha e dos colegas que tenho contato, passou a ser algo que eu confirmo nos estudos que leio. A OMS – Organização Mundial de Saúde estima que:

“As necessidades de saúde mental e apoio psicossocial aumentem significativamente nos próximos meses e anos”.

O Ministério da Saúde fez uma pesquisa entre abril e maio do ano passado que mostrou que 86,5% do público pesquisado apresentava ansiedade, 45,5% sintomas de estresse pós-traumático e 16% depressão em formas mais severas. Não tá fácil pra ninguém, pessoal.


Então eu volto no título da nossa primeira conversa nesse canal: Por que precisamos falar de saúde mental?


E respondo: porque eu, você e todo mundo estamos precisando cuidar da nossa. Porque isso é fundamental nos tempos normais, veja lá nesse tempo maluco que temos vivido. Precisamos romper com nossos preconceitos e barreiras e ter a coragem de assumir que esse é um assunto importante e que vai nos ajudar a lidar melhor com este e outros tantos períodos de nossas vidas.


Vamos combinar o seguinte? Na semana que vem eu volto para conversarmos mais sobre o tema e tentar te ajudar com isso de alguma forma.


Abraços.


Referências:


ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE, OPAS. Dia Mundial da Saúde Mental 2020. https://www.paho.org/. Brasília, 2020. Disponível em: <https://www.paho.org/pt/campanhas/dia-mundial-da-saude-mental-2020 >. Acesso em: 11.abr.2021.


MINISTÉRIO DA SAÚDE. Ministério da Saúde divulga resultados preliminares de pesquisa sobre saúde mental na pandemia. https://antigo.saude.gov.br/. Brasília, 2020. Disponível em: <https://antigo.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/47527-ministerio-da-saude-divulga-resultados-preliminares-de-pesquisa-sobre-saude-mental-na-pandemia>. Acesso em: 11.abr.2021.


Autor: Marcone de Souza Marques Psicólogo - CRP 01/15953

Psicólogo formado pelo UniCEUB em 2008, trabalhou com Psicologia Organizacional nos segmentos de Gestão do Conhecimento, Treinamento e Desenvolvimento e na elaboração de soluções e estratégias de capacitação para diversos públicos. ​Sua atuação na área clínica, especialmente dirigida a adolescentes e adultos, motivou a busca por uma especialização em Teoria Psicanalítica, com vistas a ampliação de seu escopo teórico e qualificação de sua prática clínica. Também se dedica ao estudo de outras abordagens, como a Psicologia Analítica de Jung e a Teoria da Subjetividade de Fernando González Rey.

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/marcone-marques-327728a6


89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo